6 de setembro de 2020

Que vacilo hein, Djoko?

Ouça essa matéria
Tempo de leitura: 2 minutos

Novak Djokovic está fora do US Open. E por bobagem do próprio jogador

Em um torneio que ao meu ver não teria necessidade de acontecer (muito menos o anterior, também disputado em Flushing Meadows) muitas coisas inesperadas vêm acontecendo.

A “bolha” estourou, jogador com Covid – 19, fizeram a bolha da bolha… e isenções em relação a assuntos importantes.

Enfim, um festival de erros e de trapalhadas para agradar patrocinadores e honrar contratos.

Começa com mudanças de regulamento e criação de bolha numa das cidades mais afetadas com a pandemia nos EUA.

Continua com Djoko voltando ao início da carreira e se irritando por bobagens.

Não sei como vai terminar. Mas a meu ver todos sairão perdendo.

Desde Cincinnati o tenista já vinha mostrando irritabilidade

Durante o Masters 1000 de Cincinnati o número 1 do mundo já estava mostrando vários sinais de irritabilidade: reclamou da velocidade das quadras, mostrou irritabilidade também em alguns jogos.

Hoje ainda no primeiro set de jogo após perder a oportunidade de quebrar o saque de Pablo Carreño Busta, ele perdeu a cabeça de vez.

Foi tentar isolar uma bola mas errou. A bola foi na cara da árbitra de linha (que também não existia no Masters 1000 na semana passada, no mesmo local).

Isso não justifica a atitude, mas com certeza confunde os jogadores

Cincinnati não tinha árbitro de linha, usou um virtual. E a USTA e ATP alegaram que Cincinnati não teria recurso ($) como o US Open tem.

Então como conseguiu arcar com custos de árbitro de linha virtual, enquanto o majestoso Torneio de Grand Slam escolheu utilizar árbitros humanos mais passíveis de erros?

Não tem como justificar que cria um clima de apreensão no público, porque não tem público.

A única justificativa que eu vejo é que SAI MAIS BARATO PROS PATROCINADORES!

Realmente, Rolex, J.P.Morgan, Emirates devem estar realmente tão pobres, coitados…

Mas voltemos ao jogo e ao assunto

Djokovic e Pablo Carreño Busta entraram em quadra na tarde de hoje pelas oitavas de final do US Open.

O jogo tava bem disputado e Djokovic havia acabado de perder a chance de fechar o primeiro set de jogo quebrando o saque do espanhol.

Só que ele não conseguiu, ficou irritado e sacou mal logo em seguida.

Ao perder um ponto ele perdeu o controle e acabou fazendo isso:

Número 1 do mundo dá bolada em árbitra de linha e é desclassificado do US Open

Óbvio, não foi por querer, mas regra é regra. Seja pro último do ranking ou pro líder. Foi automaticamente desclassificado.

Isso gerou um grande alvoroço nas redes sociais. Uns defendendo que ele não deveria ser desclassificado por ser número 1 do ranking. Algumas pessoas realmente não aprendem que a regra e as leis são para todos.

Eu mesmo adoro o Djokovic, mas ele fez bobagem e tem que respeitar as regras como qualquer tenista ranqueado na ATP.

Falando sobre ATP…

Muito me decepciona a ATP e a USTA deixarem passar uma oportunidade como essa.

Em um momento de movimento contra o racismo, num complexo de quadras enorme como Flushing Meadows sem público havia espaço mais do que suficiente para eles tomarem uma posição. Mas infelizmente não fizeram. Uma pena.

Como diz uma música: “Só queria ter um tempo pra pensar sem compromisso
Nessa sua isenção que é o abrigo dos omissos”.

 
Share this:
Tags:

About Leonardo Martins

Leonardo Martins

Carioca da gema, casado, amante de animais (principalmente cachorros) e esportes.

  • Email

Add Comment

Pular para a barra de ferramentas