17 de junho de 2020
0
||||| 0 0 |||||
273

Após vitória, jogadores da MIBR atacam players da Furia em redes sociais

Tempo de leitura: 5 minutos

Foram diversos jogos de freguesia da Mibr contra a Furia, com a Made in Brasil quebrando uma série de sete vitórias seguidas da pantera no penúltimo jogo entre eles, em uma MD1 válida pela primeira fase da Blast Premier Spring.

E essa quebra de tabu parece ter dado a confiança que faltava para a equipe comandada por Fallen e Fer. Na última terça-feira (21), as equipes novamente se enfrentaram, dessa vez pelas finais da Blast Premier Spring das Américas, em uma MD3 onde a MIBR passou o carro, vencendo o duelo por 2 mapas a 0, com parciais de 16×14 e 16×9.

Com muitos confrontos entre as equipes, uma rivalidade começa a aflorar nos teclados brasileiros. Foto: Reprodução

E se o duelo já foi cercado de polêmicas, o pós jogo foi ainda pior. Mas, vamos do inicio. Os ânimos já começaram aflorados desde o segundo round, quando o jogador ‘VINI’, da Fúria, tentou ‘operar’ Fer e acabou perdendo o duelo, apesar de sua equipe ter ganho o round.

Porém, o clima pesou mesmo a partir do 25º round ainda no mapa Inferno, quando a MIBR enfrentou problemas técnicos, com Fallen e Fer caindo por problemas com o servidor e a Fúria prosseguindo e fechando o round, com uma longa pausa se estendendo a seguir.

Segundo as regras, a Fúria não precisaria voltar o round, pois FalleN já havia causado danos nos adversários, o que permitiria que a rodada não fosse jogada novamente, caso fosse desejo da equipe.

Fallen então foi ao twitter postar um vídeo que comprovava que ele havia caído antes de qualquer player da MIBR sofrer dano, tendo reconectado apenas com Fer já morto.

Postagem de CEO da Fúria

Após uma longa pausa, o CEO da Furia apareceu nas redes sociais confirmando que o round voltaria. “Mesmo com a regra falando que a @furiagg nao deveria voltar o round, entendemos que o vídeo do @FalleNCS foi bem claro e optamos por livre vontade em dar rollback. Independente do que acontecer, é o que acreditamos que é justo. Segue o jogo”, disse ele.

E o round, que era decisivo, acabou voltando e foi ganho pela MIBR, que teria sérios problemas se tivesse perdido o round, pois estaria de eco (quando não há dinheiro para armamentos) e enfrentando um 13×12 para a Furia. Primeiro mapa fechado e foram para Vertigo.

Na Vertigo, os ânimos ainda estavam a flor da pele. O player da MIBR ‘KNgV’ postou em suas redes: “Voltou sob pressão porque não queriam voltar! Paga de bonzinho na rede social ai”, o que explicava a reação dos jogadores da equipe vencedora.

Com todo o baque, a Fúria não se encontrou mais no jogo e a MIBR passeou na Vertigo, um dos mapas preferidos da equipe comandada por KSCERATO e arT, com vitória da Made In Brasil por 16×9.

Fer, do MIBR, é acusado de racismo; jogador se posiciona
Fernando ‘FER’ foi o primeiro a ir nas redes sociais, dando início a polêmica

Pouco após a vitória confirmada, Fernando ‘FER’, foi as redes sociais atacar os atletas da Fúria: @furiagg vocês são uns merdas. Todo dia eu acordo e olho pra uma caralhada de troféus. E me orgulho por ter ganho todos eles sendo justo e na bala. Nunca me beneficiei de uma injustiça e nunca me ausentei perante uma. Quer respeito? Conquiste ele sendo homem”, postou o jogador, pouco antes de entrar em live, onde seguiu criticando a Fúria.

“O que postei que os moleques são uns merd**” começa fer, “São os jogadores que estão ali, ta ligado? os jogadores do Fúria naquele momento foram uns mas do car***o“… “porque é o seguinte, quando você tá jogando um jogo, quando você tá jogando dentro da pra do jogo, quem tem a voz são os jogadores.“, disparou

“Todos os jogadores da FURIA foram coniventes com uma injustiça”, finalizou Fer, durante a live com fãs.

O player TACO, da MIBR, postou um vídeo com indiretas a organização rival. ““Respeita nossa história, respeita os mais velhos, humildade sempre. Tamo aqui na luta. E hoje foi uma vitória muito importante para gente, tamo aumentando a confiança, tamo melhorando no jogo e tamo dando duro pra representar o Brasil, como a gente sempre faz há 5 anos com muito respeito, fair play e dignidade durante todos esses anos. Somos MIBR, não esqueçam.“, finalizou ele.

O último player da MIBR a se manifestar foi Vito ‘KNgV, em longo desabafo. ” Os caras são bons para cara***, eles tem bala para ganhar, mas não vem querer ganhar jogo assim. Já aconteceu em outro jogo, era um eco nosso e travamos, certo? Nós não reclamamos, jogamos vários jogos todos cagados. Contra a MAD Lions [pela final da Flashpoint] rolou um pause de cinco minutos porque o treinador caiu. Para, mano, não dá para ser roubado e ficar em silêncio toda vez não, truta. E é isso, vamos MIBR, c….. – disse o player.

Chat da partida durante a pausa polêmica

“Odeio gente assim, que é conivente com a parada. Os caras aqui do meu time têm dois mundiais, 85 campeonatos, você acha que eles precisam pagar de louco para ganhar um jogo? Se nós estamos falando é porque é. Os caras ficam metendo o louco, falando que “não é com nós”, não é com nós não, parceiro. A vontade do time prevalece. Só que hoje o justo prevaleceu, irmão. E aqui tem cara de atitude, não vai ficar falando besteirinha na internet não como se fosse pagando de pá e nas costas está falando um monte. Para cima de mim não, truta, certo? Tem que ser justo, correto e honesto, irmão, certo?”, finalizou ele.

Pelo lado da Fúria, poucos jogadores se pronunciaram, sendo eles arT e Hen1. O primeiro foi Henrique, através de suas redes sociais. “ggwp os caras! O resto é resto, não curto muito esse hype de treta porque para mim não faz sentido. Abraços, até a próxima”, postou o jogador.

Andrei ‘arT’ foi o último, fazendo alguns stories, onde explicou que, na sua percepção matado um jogador rival que estaria agachado e depois viu outro pulando em direção a base, então ele não sabia o que tinha acontecido com os jogadores da MIBR.

Da Fúria, apenas arT e Hen1 se pronunciaram, além de seu CEO, Guerri.

Ainda de acordo com ele, após o CEO Guerri enviar para os jogadores da Fúria o vídeo em que FalleN mostrou que estava de fato travado. Segundo arT, ele revelou que assim que todos acabaram de assistir o que FalleN postou, toda a equipe concordou, imediatamente, sem qualquer rejeição, que a rodada deveria voltar.

Polêmicas a parte, a final norte-americana da BLAST Premier Spring acontece entre os dias 16 e 21 de junho e terá premiação total de US$ 250 mil (R$ 1,2 milhão). As duas equipes brasileiras pode se enfrentar em uma eventual final no domingo, caso vençam seus duelos.

Compartilhe:
Tags:

Sobre George Dantas

Content Creator at @90GoalsBR

  • Email

Comentar