27 de fevereiro de 2020

Não vá embora antes do apito final, você pode perder um gol de 1,5 milhão de reais!

Ouça essa matéria
Tempo de leitura: 4 minutos
O jogo das emoções! Foto/Divulgação Tribuna do Paraná
O jogo das emoções! Foto/Divulgação Tribuna do Paraná

Com três gols em 7 minutos, Paraná Clube saiu da Vila Capanema com a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil!

Virada histórica do Paraná!

Uma que será lembrada por muitos paranistas que estavam presentes na Vila Capanema e dos que foram embora quando o time perdia de 2×0. Isso até os 45 minutos do segundo tempo. Também lembrado pelos que assistiam a partida na televisão; todos irão lembrar deste jogo cheio de emoções !

Foi um jogo de muitas emoções, muito nervosismo, apreensão, irritação, choro, protestos da torcida e gritos de olés para o adversário, mas vamos falar sobre o jogo desta noite!

A partida começou com a equipe paranista tentando se impor no campo do adversário, porém como já não é novidade com sérias dificuldades em propor o jogo. Isso por que o time montado pelo Alex Brasil era para ser um time de força e velocidade. Mas melhor dizendo, foi um time montado para ser forte na marcação e veloz nas transições para contra-ataques.

Não sendo assim, o time do Bahia de Feira no primeiro tempo utilizou uma linha de cinco jogadores baixa e outra linha de quatro jogadores atrás do meio campo. Oferecendo assim, extrema dificuldades ao tricolor paranaense; Mesmo com muito volume, tentando pressionar a saída de bola e atacando em um sistema de jogo 3-4-3, avançando seus zagueiros, não conseguiu profundidade e teve de buscar alternativas para furar a forte marcação dos baianos.

Mesmo assim, a equipe do Paraná só conseguiu obrigar o goleiro adversário a fazer a sua primeira defesa aos 31′ do primeiro tempo. Em um chute fraco, mas perigoso de Michel. A outra boa chance do Paraná na primeira etapa foi em um chute de Carlos Dias na entrada da área para fora. Foi um primeiro tempo pobre de futebol, muito volume e vontade mas com pouca efetividade.

Segundo tempo de jogo!

Na segunda etapa o Paraná Clube voltou ainda mais para frente, conseguindo furar a defesa do Bahia de Feira. Com isso, entrou em ação o atacante Marcelo, que passou de ponta esquerda para jogar centralizado. Ele teve oportunidade em boa jogada de Thiago Alves, em que recebeu a bola e bateu cruzado errando o gol. Mas logo após este lance, o Bahia de Feira abriu o marcador com um contra-ataque pela ponta direita, em chute cruzado de Léo Porto. Após o gol, Marcelo teve ótima chance cara a cara com o goleiro mas mandou a bola no travessão. Logo após o lance, ele foi substituído por Rodrigo Rodrigues. E ao sair de campo, recebeu uma grande vaia, sentou-se ao banco e desolou-se em lágrimas.

Marcelo, teve duas oportunidades, se dedicou no jogo, mas saiu vaiado de campo ( Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná )
Marcelo, teve duas oportunidades, se dedicou no jogo, mas saiu vaiado de campo ( Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná )

Com o resultado adverso, a desclassificação da Copa do Brasil estava chegando. Com isso, o torcedor foi perdendo a paciência. A cada erro de passe, domínio de bola, cruzamento mal feito e finalizações erradas era motivo para xingamento. Assim veio o nervosismo de um time jovem e em formação. Após o gol adversário a equipe se desorganizou ainda mais defensivamente, virou um time peladeiro. Mas o Bahia de Feira poderia ter aproveitado melhor os vacilos da zaga paranista. Porém só foi fazer o segundo gol após um contra-ataque, onde subiram 4 jogadores do time baiano contra 2 paranistas. Fabrício foi obrigado a cometer uma falta na entrada da área, recebendo cartão amarelo. E na mesma falta um belo chute de Cazumba ampliando para 2×0 para o Bahia de Feira.

O que já estava ruim ficou ainda pior!

Após o gol, o nervosismo aumentou. Os experientes Fabrício e Renan Bressan tentavam dar apoio e chamar a responsabilidade. Porém, o relógio se tornava outro adversário, além dos baianos e da torcida paranista que protestava e gritava olé a cada toque de bola adversária.

Pois bem, a equipe paranista não desistiu em nenhum momento! Quando muitos torcedores já deixavam as dependências da Vila Capanema, o Paraná resolveu reagir. Aos 46 minutos em boa jogada na esquerda Renan Bressan cruzou na medida para Thalles diminuir para 2×1.

Um minuto depois foi a vez de Fabrício receber bom passe de Thiago Alves e concluir para as redes, empatando em 2×2. Em um jogo onde os atacantes tiveram dificuldades de finalizar a gol, a dupla de zaga igualou o marcador em 2 minutos.

Os experientes do time Fabrício e Renan Bressan foram os protagonistas da virada paranista. ( Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná )
Os experientes do time Fabrício e Renan Bressan foram os protagonistas da virada paranista. ( Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná )

Com a igualdade no placar, o apoio da torcida e a equipe baiana assustada, o Paraná Clube se lançou a frente. Em jogada de Thiago Alves, ele acabou sofrendo falta dura em direção ao gol, rendendo um cartão vermelho para Paulo Paraíba. Após muita reclamação e confusão, Renan Bressan pegou a bola e com toda tranquilidade do mundo bateu a falta caprichosamente no travessão, em sequência entrando no fundo das redes. Era o ápice na Vila Capanema, uma explosão de euforia e alegrias de todos os presentes no estádio. Agora que venha o Botafogo e os Russos.

Estatísticas do jogo mais emocionante do ano!

Segue os números e mapa de calor da partida, onde mostra bom volume de jogo do Paraná Clube! Mostra também as várias jogadas pelas laterais e a dificuldade de penetrar pelo meio da área adversária.

O Paraná lutou. Que sirva de lição, não deixe o estádio sem o apito final. O futebol é surpreendente…..

Share this:
Tags:

About Luiz André

Luiz André

Nascido em Curitiba - mas catarinense de coração. Avaiano, com muito orgulho!! Fã de futebol, MMA e PW. Tentando aprender sobre a NFL a cada dia! Escrevo besteiras no Twitter @Ninety_fut

  • Website
  • Instagram
  • Email

Add Comment

Pular para a barra de ferramentas