12 de fevereiro de 2020
1
||||| 0 0 |||||
1198

Um Inter que há muito tempo eu não via!

Tempo de leitura: 4 minutos

Há tempos que eu não via um Inter tão qualificado no assunto postura. Há muito tempo eu também não observei um time com tanta posse de bola e vontade de vencer… é, esse é o novo porém recente, Inter de Coudet.

Bom, já é obvio que o Internacional apresenta outra cara, mas também é obvio que uma filosofia de jogo não se instala do dia para a noite. Contra ataque, posicionamento, postura de jogo, articulação em campo e outras referências propostas por Coudet, nos mostram uma grande evolução comparado ao Inter de 2019. O Objetivo não é bem comparar mas sim exemplificar. Ontem durante a partida de volta da primeira fase da pré-libertadores, o Inter foi contundente.

Estreia em casa pela Libertadores. Foto/Ricardo Duarte Inter
Estreia em casa pela Libertadores. Foto/Ricardo Duarte Inter

Contundente na maneira de jogar, ou seja, incontestável, buscou jogo mas não abriu as portas pro adversário, soube ter paciência e controlar a bola, levando qualidade na parte ofensiva. Perfeito? Não mas muito bom de assistir. Exemplificando, é o contrario do que foi 2019, bola jogada na área rezando para um craque aparecer; afobação pra sair do meio, sem raciocinar; avenidas laterais dando a bola no pé do adversário, etc.

O jogo

Para entendermos tudo, vamos comentar sobre a partida. O Internacional venceu a LaU por 2×0 no Beira Rio, após empatar em 0x0 no Chile. Foi um jogo bom de se ver, tem pontos sim a serem estudados para melhorar, mas entenda, é um time literalmente de transição, que vem trabalhando uma nova filosofia de jogo.

A evolução

Bom, Coudet prometeu que sua caracteristica seria a proteção e articulação da bola, e isto está sendo feito com sucesso. Na partida de ontem, o Inter somou 78% de bola, se mantendo no campo adversário e forçando a outra equipe a se defender a todo instante, consequentemente esquecendo de atacar. Mas calma, nem todo esse 78% de bola foi revertido em eficácia.. ontem vi uma das piores partidas do Guerrero que, mal posicionado, perdeu inúmeras chances de gol. Pode ser recorrente do novo estilo de jogo, em que aproxima o meio campo do ataque fazendo uma transição o tanto quanto rápida, entretanto, é necessário que ele entre no ritmo, pois é nossa única referência no ataque.

Inter x LaU. Foto/Divulgação Ricardo Duarte Inter
Inter x LaU. Foto/Divulgação Ricardo Duarte Inter

Teve falhas na última bola mas também teve evolução nas jogadas. Acabamos não levando gol, algo a ser comemorado pois em outras partidas abrimos a defesa para poder atacar. Ali pode ser observada a primeira evolução!

Gostei do jogo proposto pelos laterais, na correria, marcando e fazendo jogadas por baixo ou alçando a bola na área. Tiveram algumas falhas na hora de atacar mas muito contou com a desatenção dos outros. Outro ponto positivo foi o gol no fim do primeiro tempo. O Inter pressionou muito a LaU, fez mudança logo no início quando viu que não funcionaria. Botou o D’Ale pra correr e cá entre nós, que primeiro tempo do 10. No fim do primeiro tempo, abrimos o placar com Boschilia, que aproveitou a presepada do adversário pra meter a bola no fundo do gol, deixando todos na saudade.

É bom ressaltar que um time só se aproveita da falha do adversário se estiver bem posicionado.

Assim foi, um gol no fim do primeiro tempo do Inter para explodir o Beira Rio e acalmar um pouco o torcedor colorado.

O segundo tempo e a tensão

Mesmo com o gol no fim do primeiro tempo, a equipe voltou pressionando mas em determinado tempo a LaU cresceu e começou a incomodar. Nós, desesperados que somos, já ficamos apreensivos por um possível empate. Parece que o time desperdiçou no meio de campo, dando a bola pro adversário chegar porém sem eficacia. Quando observado o momento em que a bola não entrava e que o adversário buscava o empate, Coudet rapidamente mexeu, alterando o meio de campo. Saiu D’Ale e entrou o veloz Marcos Guilherme.

Ali o Inter conectou-se com o jogo novamente, assim, alguns minutos depois Marcos Guilherme fez o zagueiro e o goleiro entrarem no bolso dele, marcando um golaço numa frieza calculada, que levou o torcedor ao delírio.

Que golaço e que time bom de ver jogar. 2×0 e buscando o jogo, sem deixar o adversário chegar, criando no erro dele, tendo coletividade e deixando de recuar após abrir o placar.

Numa humilde opinião, o Inter tem capacidade de buscar patamares maiores, eu vejo evolução. Não é gringuismo, precisamos deixar Coudet trabalhar, ele vai enxergar os erros e vai cobra-los, ontem vimos mais acertos que erros, isso já me empolga muito. Por fim, é apenas o começo da temporada, tenham paciência, existe um caminho imenso pela frente.

https://www.internacional.com.br/

Share this:
Tags:

About Carol Kaiser

Carol Kaiser

  • Website
  • Email

1 Comments

  • lucas daniel
    2020-02-13 01:38

    Otimo texto, a mudança é evidente e cada vez mais concreta, nesses 8 jogos, média de 500 passes por jogo (antes creio que 300), 65% de posse de bola (sendo que jogou mais fora de casa, antes a média não devia passar de 50%), aumento de 15% dos desarmes na pequena área (antes 9%)… E o mais chocante, time que luta pra fazer mais gol mesmo vencendo.

Add Comment