12 de fevereiro de 2020
0
||||| 0 n |||||
325

Red Bull RB16: Touro revisado

Tempo de leitura: 3 minutos

E quem esperava uma pintura diferente com um carro bem espetaculoso….perdeu. A Red Bull este ano resolveu rasgar a sua cartilha: foi uma das primeiras a apresentar seu carro, não fez uma pintura especial para o lançamento e, por enquanto, o RB16 é uma versão levemente atualizada do seu antecessor de 2019.

Logo cedo, a equipe divulgou as imagens, bem como foi fazer um ligeiro teste em Silverstone, aproveitando os 100 km que o regulamento permite a título de “dias de filmagem”. Max Verstappen foi o escolhido para levar o contenedor taurino para o frio clima inglês.

Jogo dos 7 erros? Quase

A primeira vista, o RB16 pode dizer que pode ser colocado ao lado do RB15 e fazer o jogo dos 7 erros. O fato de usar a mesma pintura e haver (quase) nenhuma modificação na disposição dos patrocinadores, torna a missão dos analistas e dos entendidos bem difícil. Mas, com atenção, se presta atenção aos detalhes.

Adrian Newey e sua equipe optou por trabalhar em cima da base anterior. Aliás, este é um caminho que boa parte dos times deverá seguir por conta da estabilidade do regulamento. E nesta configuração inicial, nota-se que o trabalho foi feito em aperfeiçoar detalhes.

O Red Bull RB16 (fonte: Red Bull Content Pool)

A frente chama a atenção. Pelo menos agora, o spoiler é um pouco mais fino e a ponta ligeiramente revisada, para potenciar o S-Duct, fazendo lembrar um pouco a Mercedes. O apoio dos aerofólios está mais aberto, fazendo um pouco das vezes das aletas para direcionar o ar para as laterais. Os “chifres”, que apareceram em alguns momentos de 2019, voltaram ao menos neste momento.

A retaguarda é que importa

As alterações mais notáveis estão para trás: As bargeboards estão mais trabalhadas e a Red Bull também se rendeu a uma espécie de bandeja na altura dos retrovisores. As laterais mudaram um pouco: estão mais bojudas do que no ano passado. Tal mudança deve ser motivada pela maior necessidade de refrigeração da nova UP da Honda, que promete ganhos em relação à Spec 4 usada ano passado e que surpreendeu no final da temporada.

Em paralelo, o cofre do motor está mais “enxuto”. Mostra de que a Honda trabalhou mais para reduzir o tamanho da UP, além de permitir direcionar melhor o ar para os aerofólios, que agora, não mostram muita diferença em relação ao carro anterior. Nota-se também o trabalho feito no assoalho, onde o esquema das aberturas são bem diferentes (embora este aspecto seja bem mexido ao longo do ano).

Tentar voltar às vitórias

O RB16 é a esperança de que a Red Bull possa voltar a lutar efetivamente pelo título. Nos últimos tempos, Helmut Marko, o todo poderoso da equipe, tem feito questão de dizer que não existem mais desculpas para que seus carros não disputem mais a liderança das corridas e espera pelo menos 5 vitórias nesta temporada.

É o que espera também Max Verstappen, que renovou seu contrato até 2023, e tem ânsia de ser um contenedor ao título, deixando para trás a pecha de “eterna promessa”. Reza a lenda que o seu contrato mais uma vez teria uma “cláusula de performance”, permitindo sair caso alguns resultados não fossem atingidos. Alexander Albon tem a missão de ser um efetivo segundo, de modo a garantir pontos para a equipe, além de confirmar a boa presença que fez na temporada passada.

Verstappen e Albon: uma dupla que pode dar um bom espetáculo em 2020 (Red Bull Content Pool / Mark Thompson/Getty Images)

A Red Bull tem fome de vitórias e que justificar o grande investimento feito para voltar à liderança. Afinal, a imagem que a marca passa é de vitórias. Max Verstappen já preenche o lado “jovem” que necessita e agora quer garantir a outra metade da equação. Dinheiro e técnica tem. Mas tem que casar no momento certo. É o que esperam.

Share this:
Tags:

About Sergio Milani

Sergio Milani

Carioca, administrador, cartola de kart indoor, piloto domingueiro e dublê de analista de automobilismo em diversas frentes.

  • Instagram
  • Email

Add Comment