16 de janeiro de 2020
5
||||| 2 n |||||
331

O futebol é negócio ou paixão?

Tempo de leitura: 4 minutos

O futebol é um negócio na visão dos empresários, atletas e dirigentes, mas olhando pelo torcedor é visto como paixão, amor, pois envolve sentimento.

Essas situações opostas aparecem principalmente nesses momentos de transferências, pois os clubes e atletas buscam renovações contratuais ou transferências para outros clubes. Do outro lado temos os torcedores que ficam aflitos e torcem para seus principais jogadores continuarem no elenco e que venham outros jogadores para qualificar o time de coração.

Deste modo, quando um dos principais atletas permanece, mesmo tendo propostas de outras equipes, os torcedores comemoram e idolatram, por outro lado, se ele sai do time, vira vilão e os torcedores não aceitam com facilidade.

Torcedor

O torcedor quer ver seu time vencer e conquistar títulos, mas para isso é necessário ter uma boa equipe. Seja no estádio ou nas ruas, o torcedor estufa o peito e se orgulha das conquistas de seu time, usa a camisa todo feliz. Mas se o time vai mal, não ousem falar do seu clube, pois vai mexer com o ego, com coisas que não se devem.

Muitos torcedores vão ao estádio e tem apenas o futebol como “distração”, sofrem, xingam, vibram, cantam, choram e descontam seus problemas ali, por isso, não vamos brincar com o sentimento deste torcedor, que deposita seu amor e suas esperanças naquilo que lhe pode dar alegria.

O torcedor é paixão, é coração e raramente lida com a razão. Mexer com o time de alguém é como mexer com sua namorada ou namorado, mexer com sua família. Ninguém pode falar mal, ou melhor, apenas o torcedor pode falar mal do próprio time.

Atletas e treinadores

Para essas pessoas, o futebol é negócio sim, é profissão. Por isso existe a busca constante por melhores oportunidades de trabalho, reconhecimento profissional e busca por novos desafios.

Os atletas e treinadores nessa busca por melhorias, muitas vezes influenciados por seus empresários, acabam optando por um caminho que pode “destruir” tudo aquilo que já foi conquistado em algum clube. Mas com certeza, optaram por algo que acreditavam ser melhor para eles no momento.

Clubes e dirigentes

Mais do que nunca o futebol é negócio para os clubes. O futebol envolve milhões e trabalha com a paixão dos torcedores.

O objetivo dos dirigentes é conseguir ter os melhores atletas, com o menor custo possível, para que o time consiga arcar com seus compromissos e a equipe renda em campo. Dessa forma, o torcedor, que é paixão, vai gastar mais com o clube e gerar ganhos financeiros. Movimentando o negócio chamado futebol.

Após falar sobre os pontos de vistas, gostaria de citar alguns casos para reflexão:

Caso Tiago Nunes

Tiago Nunes ao sair do Athletico Paranaense para o Corinthians, com certeza acreditava que era o momento certo para deixar o clube e tentar um novo desafio na carreira. Ele está certo em fazer isso?

Tiago Nunes em ação pelo Athletico Paranaense – foto: globo esporte

Para muitas pessoas a atitude tomada foi correta, buscar esse novo desafio numa equipe do eixo Rio-São Paulo, Tiago Nunes e seu empresário acreditam que era o momento, isso se chama negócio. Foi uma ótima oportunidade de trabalho e com certeza o lado financeiro (negócio) pesou.

Olhando pelo lado do torcedor athleticano, onde envolve a paixão, a escolha foi completamente errada e muitos se sentem traídos pela escolha. Mesmo sendo o técnico mais vitorioso do Athletico Paranaense, ele virou um vilão para grande parte da torcida.

Caso Jadson e Ralf

Assim que chegou no Corinthians, Tiago Nunes disse que não contaria com dois ídolos da torcida corinthiana, desta forma, os dois atletas deveriam procurar novos clubes. Essa atitude agradou aos torcedores?

O clube foi correto com esses atletas? Visto que pelo lado do Corinthians, todos sabem da necessidade de diminuir a folha salarial para acertar as finanças do clube. Dois ídolos que simplesmente foram deixados de lado, mas serão sempre lembrados por sua fiel torcida

Ralf e Jadson, ídolos do Corinthians que não jogarão com Tiago Nunes. Crédito: Twitter Oficial – Corinthians

Caso Diego Tardelli

O Grêmio decidiu rescindir o contrato do atacante, pois o mesmo não rendeu o esperado em 2019 e a diretoria tricolor acredita que não valia a pena manter o investimento no atleta. A diretoria está errada?

https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/gremio/noticia/gremio-rescinde-contrato-com-diego-tardelli.ghtml

Se o atleta forçasse sua saída do clube, os torcedores achariam errado, mas o inverso não seria errado também? Pois querendo ou não, o atleta deixa de estar empregado e terá de procurar outro clube. Quais foram os motivos para a rescisão do contrato? Falta de comprometimento, faltas em treinos, discussões e mal-estar com o elenco ou simplesmente porque acharam que não rendeu?

Caso Rony

Outra situação, clube busca a renovação contratual do Rony que tem contrato até metade de 2021, porém existe o interesse de outras equipes. O Athletico Paranaense quer estender o contrato para aumentar a multa rescisória e segurar o atleta por mais tempo ou conseguir mais dinheiro numa futura venda. Do outro lado temos o empresário tentando ganhar um pouco mais também, seja no aumento do salário (o que considero justo) e na porcentagem de venda futura. Existe alguém errado nessa história?

Vendo pelo lado racional, todos estão certos. O empresário quer o melhor para seu atleta, olhando no lado financeiro, por outro lado, o Athletico está correto em tentar a renovação, deste modo, o presidente Petraglia está vendo o que é melhor para o clube.

Rony está em processo de renovação ou saída do Athletico Paranaense.  Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Nesse caso, a renovação do Rony o tornaria ainda mais ídolo da torcida, mas se optar por não renovar ou sair, poderá transformá-lo em vilão, vendo pelo lado emocional do torcedor.

Enfim, futebol é negócio para quem vive do futebol e paixão para quem vive pelo clube de coração.

#futebolnegocio

#futebolpaixao

Share this:

About Paulo Eduardo Freitas

Paulo Eduardo Freitas

Casado e pai de duas lindas meninas. Bacharel em Ciência do Esporte pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) Treinador da categoria sub-17 do Imperial Futebol Clube, de Curitiba

  • Instagram
  • Email

5 Comments

  • Maycow Júnio Silva
    2020-01-16 15:16

    Show! Eu como torcedor vejo o futebol com paixão, mas infelizmente a realidade é que não passa de negócios, pois a muito dinheiro envolvido!

  • Denise Vilane de Freitas
    2020-01-16 21:16

    Sem dúvida há estas duas vertentes: negócio ou paixão. E cada um tem o seu modo de ver o futebol. No entanto, o futebol é a grande paixão da maioria dos brasileiros. Que eles aprendam a respeitar os adversários e torcer de modo respeitoso. Esse é o meu desejo…

  • CELSO MORAES JUNIOR
    2020-01-16 21:35

    Shoooooww

  • Raphael Quinta Categoria
    2020-01-16 22:26

    Boa!!! Muito bem analisados, ambos os lados!

  • Edson Maciel
    2020-01-19 18:11

    Futebol são momentos e oportunidades. E tudo esta ligado ao financeiro. Momento melhor, titulos, vitórias, conquistas o atleta o clube, o treinador enfim todos passam ter valores maiores no mercado da bola. Na minha opinião é o momento certo de tirar proveito, muitas vezes do melhor momento da carreira. E carreira de jogador é curta. E mesmo treinador deu certo ,emplacou em um trabalho , esta valorizado aproveite. Porque tudo é passageiro e passa rápido. E com relação ao torcedor paixão, também tem que aproveitar as fases brilhantes das equipes. Porque como falei tudo é uma fase e passageiro. Pois é muito dificil chegar no topo. E quando chega o mais difici é manter, alias é impossivel manter.

Add Comment