13 de janeiro de 2020
0
||||| 0 0 |||||
193

ATP CUP: Sucesso absoluto na primeira edição da Copa

Ouça essa matéria
Tempo de leitura: 2 minutos

De 02 a 12 de janeiro foi disputada a primeira ATP CUP, na Austrália.

A ATP Cup é um torneio anual e internacional de tênis entre nações, que teve sua primeira edição em janeiro de 2020. O torneio foi disputado em três cidades australianas (Perth, Brisbane e Sydney) ao longo de dez dias antes do Aberto da Austrália e contou com equipes de 24 países.

As organizadoras da competição anual são a ATP em parceria com a Tennis Australia.

Como  foram definidas as equipes participantes?

Em setembro de 2019, as primeiras 18 equipes se classificaram para a ATP Cup, baseadas nos rankings dos jogadores número 1 de cada nação em 9 de setembro e o comprometimento destes em disputar o evento. A Austrália, país-sede, entrou por convite. A Suíça se retirou da chance de qualificação depois que Roger Federer confirmou a não participação, por motivos pessoais.

As seis equipes restantes (Bulgária, Chile, Polônia, Uruguai, Moldávia e Noruega) se classificaram em novembro, baseadas nos rankings de 11 de novembro de 2019.

Como funciona o torneio?

Os 24 países estão divididos em seis grupos de quatro para a fase inicial.

A competição começa com a fase de grupos, que será realizada em três cidades australianas (Brisbane, Perth e Sydney) durante seis dias.

Cada confronto será composto por duas partidas de simples e uma de duplas, no mesmo estilo do novo formato da Copa Davis, lançado em 2019. O país que vences duas partidas vence o embate. Todos terão três confrontos nas fases de grupos. Os jogos individuais serão em melhores de três sets com tiebreak. As duplas seguirão o formato do circuito, com no-ad e match-tiebrak no terceiro.

Os seis vencedores de cada grupo e os dois melhores classificados em segundo lugar se classificam para as quartas.

Imediatamente após a fase de grupos, iniciou-se a fase eliminatória com quartas de final, semifinais e finais disputadas todas em Sydney, na Arena Ken Rosewall.

A final foi disputada entre Espanha de Rafael Nadal e Sérvia de Novak Djokovic. Djoko brilhou durante todo o evento, vencendo todas suas partidas de simples e quando chamado para as duplas, também não titubeou e venceu os dois confrontos que participou, incluindo o jogo de duplas da grande final.

Foto: Divulgação

Já Nadal sentiu o desgaste da competição e não conseguiu disputar a partida final de duplas. A dupla formada por Feliciano López e Pablo Carreño Busta não foi párea para o inspirado Novak Djokovic e o veterano Viktor Troicki, que enceram por 6/3 e 6/4 sem muita dificuldade.

Compartilhe:
Tags:

Sobre Leonardo Martins

Carioca da gema, casado, amante de animais (principalmente cachorros) e esportes.

  • Email

Comentar